Receitas de chefs conceituados do Sul de Santa Catarina

Cozinhar pode ser um hobby. Mas para muitos essa paixão se tornou profissão. No entanto, cozinhar profissionalmente requer responsabilidades. Assinar o menu de um estabelecimento como chef de cozinha, exige dedicação e conhecimento sobre o universo da gastronomia.

Para entender um pouco mais sobre essa maratona fomos conhecer alguns Chefs da região Sul Catarinense. A cozinha francesa fica em evidência, quando o assunto é alta gastronomia, na sequência estão as demais, que não perdem pontos em nenhum momento, seja na elaboração dos pratos, seja na riqueza de detalhes.

Gastronomia autoral e muita criatividade como diferencial

Nossa primeira parada é no Chers Amis, onde o Chef Frindo realiza diversos eventos, num ambiente elegante e charmoso. Para começar, um Ravióli de muçarela de búfala com molho pomodoro, nos deram as boas-vindas. Na sequência, com maestria o Chef nos preparou um clássico da culinária francesa, o conhecido petit gateau.

Ravióli de muçarela de búfala com molho pomodoro

Outra figura marcante na região Sul é o Chef Talis Laureano, que teve uma experiência no exterior. No Brasil, atuou em algumas casas ao longo dos últimos anos. O prato elaborado foi uma nova criação do Chef e feito pela primeira vez à nossa equipe. Composto por atum na crosta de gergelim selado, ceviche de banana da terra, picles de cenoura, espuma de champignon com creme de abacate e finalizado com flores comestíveis e brotos.

A presença de diversas texturas causam uma verdadeira explosão de sabores

Partimos para conhecer os Chefs da cidade mais charmosa e italiana do sul de Santa Catarina, Nova Veneza. Primeiro passamos pelo restaurante Divina Armida que é comandado pelo Chef Antônio Ribeiro, que já foi Chef do extinto restaurante Brio, em Criciúma. Ele nos presenteou com um prato autoral, que é de deixar qualquer um, com água na boca. Um risoto com páprica defumada e camarão salteado. Uma verdadeira delícia.  Com uma grande experiência fora do país, foi lá que ele apreendeu a cozinhar e se apaixonou pela profissão. Mas a bagagem emocional foi fundamental para impulsionar a escolha de trabalhar em uma cozinha, já que por diversas vezes teve como exemplo o pai.

Risoto com páprica defumada e camarão salteado

Essa inspiração que vem de berço não termina por aí, o Chef Fernando também entrou para o mundo da gastronomia ao observar o pai cozinhando. Viajou para exterior e por lá viveu 10 anos, se aperfeiçoou e quando voltou para o Brasil decidiu abrir seu próprio restaurante com sociedade dos dois irmãos, o Bodega do Zeca. O prato servido no Bodega, foi nhoque na manteiga e sálvia, e Timbalo de Manzo ao molho fungi. O restaurante é cheio de objetos antigos que faz com que o visitante volte no tempo, o que torna o espaço muito aconchegante.

Nhoque na manteiga e sálvia, e Timbalo de Manzo ao molho fungi